segunda-feira, julho 24, 2017

O Bote Salva-vidas

Em 1882,  Maria Beasely descobriu uma maneira de evitar a morte de pessoas em desastres marítimos, e assim criou o bote salva-vidas. Beasely também inventou a máquina para fazer barris. Estas duas invenções tornaram-na uma mulher rica.

domingo, julho 23, 2017

A Cidade de Chitral

Chitral é uma cidade do Paquistão, capital do distrito de Chitral, localizada na província da Fronteira Noroeste.
O distrito tem uma área de 14,850 km² e uma população de 378 000 habitantes (censo de 2004).


Chitral está situada na margem oeste do rio Chitral e no sopé do Tirich Mir, o pico mais elevado do Hindu Kush e uma das montanhas mais altas do mundo.
Se quiser conhecer este belo lugar não deixe de ver o vídeo abaixo.Vale bem a pena.


sábado, julho 22, 2017

Flor do Ipê

Oiça a cantora brasileira Marisa Monte em Flor do Ipê, uma composição de Arnaldo Antunes, Cezar Mendes e Tom Veloso.

Onde quer que eu vá levo o meu amor
De Botafogo até o Arpoador
Levo meu amor para onde eu for
Do Capricórnio até o Equador

Quando a noite cai me dá saudade
Quando cai no chão a flor do Ipê
Tenho essa felicidade
Posso recordar você

Levo meu amor com a solidão
É bom assim, a paz não é pra mim

Para onde eu for levo o meu amor
Na rua, no hotel, no elevador
Levo o meu amor onde quer que eu vá
Na Lapa, Niterói, Paquetá

Na calçada, flores amarelas
Formam um tapete ao pé do ipê
Você não é mais aquela
Mas ainda faz doer

Levo meu amor com a solidão
Tá certo assim, a paz não é pra mim

Tá certo assim, a paz não é pra mim
Tá certo assim, a paz não é pra mim

sexta-feira, julho 21, 2017

Os Kalash

Os Kalash vivem na cordilheira do Hindu Kush e são considerados uma tribo única entre os indo-arianos.
Vivem num recanto montanhoso do Paquistão, junto ao Afeganistão, lutando contra a intolerância religiosa e o menosprezo dos governos, pelo que já só restam cerca de três mil…
A tradição oral conta que os kalash são descendentes de um general de Alexandre o Grande, Shalak Shah, originário de Syam, perto de Yarkand (um importante entreposto da Rota da Seda, não muito longe de Kashgar, na China), a quem Alexandre ofereceu o vale de Chitral como recompensa pela sua bravura.


Falam a língua Kalash que é uma língua indo-iraniana.
A cultura do povo Kalash é única e difere drasticamente dos grupos étnicos em torno deles. São politeístas e a natureza desempenha um papel significativo e altamente espiritual na sua vida diária.
Da sua tradição religiosa fazem parte festas e sacrifícios que são realizados para agradecer os abundantes recursos fornecidos por três vales (Bumburet, Rumbur e Birir). A mitologia e o folclore dos Kalash têm sido comparados aos dos habitantes da Grécia Antiga, mas as suas tradições são muito mais próximas das dos Indo-iranianos (védica e pré-zoroastriana).

quarta-feira, julho 19, 2017

Onde os Rios Têm Marés - Viagem Pelo Norte do Paquistão e Estrada do Karakorum

Onde os Rios Têm Marés - Viagem Pelo Norte do Paquistão e Estrada do Karakorum é um livro de Ana Isabel Mineiro
Se gosta de literatura de viagens não deixe de ler este livro. É uma ótima sugestão para as suas férias.
Sinopse:
Viajante impenitente, Ana Isabel Mineiro aventurou-se num país dilacerado pelo islamismo radical para explorar alguns dos locais mais remotos do planeta, lá onde as fronteiras do Paquistão confinam com o Afeganistão e a China.
Retrato vívido de regiões que têm existido numa intemporalidade hoje ameaçada pelo avanço duplo do fundamentalismo e da modernidade, "Onde os Rios Têm Marés" é tudo quanto a literatura de viagem deve ser — uma janela de palavras aberta sobre o mundo. Inclui um encarte com fotografias panorâmicas da autora.

terça-feira, julho 18, 2017

A Gente Vai Continuar



Oiça o cantor português Luiz Caracol em A Gente Vai Continuar.
A Gente Vai Continuar é uma versão particular de um dos míticos temas do cantautor Jorge Palma.



A Gente Vai Continuar
Tira a mão do queixo não penses mais nisso
O que lá vai já deu o que tinha a dar
Quem ganhou ganhou e usou-se disso
Quem perdeu há-de ter mais cartas pra dar
E enquanto alguns fazem figura
Outros sucumbem á batota
Chega a onde tu quiseres
Mas goza bem a tua rota

Enquanto houver estrada pra andar
A gente vai continuar
Enquanto houver estrada pra andar
Enquanto houver ventos e mar
A gente não vai parar
Enquanto houver ventos e mar

Todos nós pagamos por tudo o que usamos
O sistema é antigo e não poupa ninguém
Somos todos escravos do que precisamos
Reduz as necessidades se queres passar bem
Que a dependência é uma besta
Que dá cabo do desejo
A liberdade é uma maluca
Que sabe quanto vale um beijo
Jorge Palma

segunda-feira, julho 17, 2017

A Casa da Achada

A Casa da Achada é a sede do Centro Mário Dionísio.
O Largo da Achada (na Mouraria), para o qual dá uma das fachadas da Casa da Achada, tem muita história.
Várias casas desta parte da cidade são anteriores ao terramoto de 1755.





A Casa da Achada (do Séc. XIV ou XV) tem uma porta e uma janela gótica em cantaria.
Urban Sketrs
As características pré-pombalinas, mesmo medievais, em alguns destes edifícios, devem-se, sem dúvida, ao facto desta zona urbana ter sido pouco afectada pelo sismo de 1755, que se fez sentir sobretudo para sul da Igreja de S. Cristóvão.








As únicas alterações da morfologia urbana dizem apenas respeito ao próprio Largo, que não existia antes do terramoto (como se pode verificar pela Planta de João Nunes Tinoco de 1650).

domingo, julho 16, 2017

O Fim da Extrema Esquerda Em Angola

O Fim da Extrema Esquerda Em Angola é o próximo livro da jornalista Leonor Figueiredo, que vai ser lançado no próximo dia 19, pela Guerra e Paz Editores, em Lisboa.
Leonor Figueiredo publicou o seu primeiro livro sobre a descolonização de Angola: Ficheiros Secretos Da Descolonização de Angola. Depois, escreveu outro sobre Sita Valles, Revolucionária, Comunista até à Morte (1951-1977), e de seguida outro sobre o Movimento Estudantil de Luanda em 1974/75.
As palavras da escritora e jornalista, ao Portugal Alerta, dizem tudo sobre as temáticas que aborda nos seus livros: "Resumindo: sou retornada, o meu pai desapareceu em Angola em 1975 como muitos outros, depois de sair das redacções dediquei-me a escrever sobre coisas inéditas de lá. Ou seja, o meu espírito de investigação não parou depois do DN. Digamos que estes livros são reportagens que não cabem em jornais. É esta a minha causa.
Ajudo a malta angolana (a minha nacionalidade afectiva) que se bate contra a ditadura, seja há 40 anos, seja agora. Por isso convidei o Sédrick de Carvalho para comentar o livro", conclui a autora que convida todos os que tenham interesse por estas matérias a estarem presentes no próximo dia 19, pelas 18h30, no Salão Nobre da Casa da Imprensa.

sábado, julho 15, 2017

O Algoritmo de computador

Ada Byron King, condessa de Lovelace e filha de Lord Byron, é uma das poucas mulheres a figurar na história do processamento de dados.
Estudou matemática e ajudou o colega Charles Baggage no desenvolvimento da primeira máquina de cálculo, além de ser responsável pelo algoritmo que poderia ser usado para calcular funções matemáticas.
Entre 1842 e 1843, elaborou algumas notas sobre a máquina analítica de Babbage, que foram republicadas mais de cem anos depois. Esta máquina foi reconhecida como o primeiro modelo de computador e as anotações da condessa como o primeiro algoritmo especificamente criado para ser implementado num computador. Ada B. King criou programas para a máquina, tornando-se a primeira programadora de computadores do mundo

sexta-feira, julho 14, 2017

No Entardecer dos Dias de Verão

No entardecer dos dias de Verão, às vezes,
Ainda que não haja brisa nenhuma, parece
Que passa, um momento, uma leve brisa...
Mas as árvores permanecem imóveis
Em todas as folhas das suas folhas
E os nossos sentidos tiveram uma ilusão,
Tiveram a ilusão do que lhes agradaria...
Ah, os sentidos, os doentes que vêem e ouvem!
Fôssemos nós como devíamos ser
E não haveria em nós necessidade de ilusão ...
Bastar-nos-ia sentir com clareza e vida
E nem repararmos para que há sentidos ...
Mas graças a Deus que há imperfeição no Mundo
Porque a imperfeição é uma cousa,
E haver gente que erra é original,
E haver gente doente torna o Mundo engraçado.
Se não houvesse imperfeição, havia uma cousa a menos,
E deve haver muita cousa
Para termos muito que ver e ouvir ...
Alberto Caeiro (heterónimo de Fernando Pessoa) - O Guardador de Rebanhos - Poema XLI

quinta-feira, julho 13, 2017

quarta-feira, julho 12, 2017

Ovelhinha

Ovelhinha situada na margem do rio Fornelo ou rio Carneiro, é uma pequena aldeia histórica muito bem preservada, da freguesia de Gondar, concelho de Amarante, no norte de Portugal.
Durante as Invasões Francesas, quando as tropas gaulesas batiam em retirada de Amarante, incendiaram Ovelhinha, nomeadamente as tropas do General Loison, de tal modo que ainda hoje conserva as ruínas de algumas casas então destruídas pelo fogo.
Esta pequena aldeia típica, de traça tradicional, tem casas em pedra granítica e alguns solares, como a Casa de Vila Seca, a Casa do Ribeiro ou a Casa de Ovelhinha, datada do século XVII (construída sobre rochas e junto ao leito do rio Carneiro na sua margem direita).
Mas, vale a pena visitar também a Capela de Santo Amaro que é local de romaria por altura das festas em honra do santo com o mesmo nome, a Capela de Ovelhinha, o Mosteiro de Gondar e a Igreja Paroquial de Ovelhinha.
Se visitar esta aldeia no verão, não deixe de passear pela sua praia fluvial criada nas margens do rio Fornelo ou, a Feira do Cavalinho (que acontece todos os meses) onde se vende um pouco de tudo, desde artefactos para a agricultura e gado, roupa e calçado, doces, cavalos, burros e outros animais de quinta.
Esta aldeia é importante também, porque o tão famoso Pão de Padronelo, teve a sua origem aqui na Aldeia de Ovelhinha!
As terras de moinhos são, quase sempre, terras de pão! E em Ovelhinha há inúmeros moinhos! Inicialmente, as azenhas que se encontram nas margens dos dois rios que atravessam Gondar – o Ovelha e o Carneiro – serviam para a moagem de cereais para consumo das famílias suas proprietárias mas depressa se alargaram ao uso comunitário e começaram a servir a população.
Foi neste lugar de Gondar que surgiu, assim, a primeira padaria a fabricar este pão e a dá-lo a conhecer às regiões situadas nas proximidades de Amarante.
O Pão de Ovelhinha, ou pão de quatro cantos é também conhecido por Pão de Padronelo.
Algumas padarias da região ainda o produzem nos moldes antigos, em forno de barro, aquecido a lenha.
Na Casa do Oleiro encontrará, também, preciosos exemplares de uma das artes maiores da região, o artesanato em barro preto.

terça-feira, julho 11, 2017

Uma Casa de Bonecas



Parece uma casa de bonecas, mas não é!
É uma casa do século XVI, situada no Largo Menino Deus em Lisboa, que mantém o seu traçado original.
 A janela quadrada de adufa (estrutura feita de tabuinhas colocada na parte exterior de uma janela) confere uma imagem pitoresca à casa.
Este edifício devido ao seu tipicismo tornou-se um verdadeiro modelo para artistas plásticos nacionais e estrangeiros.

segunda-feira, julho 10, 2017

domingo, julho 09, 2017

A Máquina de Lavar Louça

Josephine Cochrane ( 1839 - 1913) foi uma inventora dos E.UA.
Construiu a primeira máquina de lavar louça (mecânica), em 1886, em Shelbyville, embora tenha existido  um dispositivo para lavar louça que foi patenteado em 1850, por Joel Houghton.
A máquina de lavar louça mecânica, de Josephine Cochrane, foi a base para os outros modelos que seguiram.

sábado, julho 08, 2017

Madeira: Património Mundial

A luxuriante vegetação da floresta indígena da Laurissilva da Madeira, foi reconhecida pela UNESCO, em 1999, como Património Mundial Natural da Humanidade.
Assista a mais um episódio da série televisiva portuguesa que dá a conhecer o que de melhor existe em Portugal, neste caso sobre a Madeira e a floresta Laurissilva.
A série documental Património Mundial reúne 14 filmes sobre edifícios e paisagens portugueses classificados pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.

Das vinhas da Ilha do Pico, nos Açores, ao Mosteiro da Batalha, passando, claro, pelos Jerónimos e pelo centro histórico de Guimarães, esta série cobre parte do que de melhor existe em Portugal em património histórico construído e em paisagem natural.

sexta-feira, julho 07, 2017

As Hortênsias

Hortênsias-Açores
Estamos na época das hortênsias e do Minho aos Açores é um prazer vê-las nos quintais ou a bordejar as estradas.
A Hortênsia ou Hydrangea macrophylla é conhecida também como novelão, hidrângea ou hidranja.
É uma espécie arbustiva, nativa do Japão e China, mas actualmente cultivada como planta ornamental em todas as regiões temperadas e subtropicais.
Esta planta apresenta flores rosadas ou azuis dependendo do pH do solo: em solos ácidos as flores são azuis e em solos alcalinos as flores são cor-de-rosa.
As Hortênsias são lindíssimas e o seu significado também é muito interessante: elas simbolizam entre, outras coisas, a realização dos bons propósitos!

quinta-feira, julho 06, 2017

A Plaza Del Ejecutivo

Plaza Del Ejecutivo - Cidade do México





Aprecie a beleza da Plaza Del Ejecutivo, que se localiza na cidade do México (no México).
16 ruas radiais cercam a Plaza Del Ejecutivo no distrito de Venustiano Carranza da Cidade do México.
Esta praça com as suas ruas radiais é uma cópia de Palma Nuova, uma cidade renascentista encontrada no nordeste da Itália, projetada por Vicenzo Scamozzi em 1593.
Palma Nuova - Itália

quarta-feira, julho 05, 2017

As Flores de Jasmim



Aprecie o espetáculo de dança (no vídeo abaixo) interpretado pelo grupo Jasmine Flowers (Atlanta Professional Dance Academy), vencedor da medalha de ouro, em 2013, do World Ballet Competition.

terça-feira, julho 04, 2017

Uma casa com história (s) para contar...


Em bairros como a Mouraria, a Madragoa, a Bica, Alfama ou o Bairro Alto, encontramos algumas casas ou prédios com história (s) para contar. Alguns destes edifícios são mesmo anteriores ao terramoto de 1755.
 Apesar de puderem não ter uma qualidade artística muito elevada, encantam pelao seu aspeto medieval e pelo pitoresco que trazem a estes bairros.
A casa ao lado é um edifício quinhentista e será provavelmente um dos mais antigos prédios existentes na cidade de Lisboa.
Apesar da sua pequena dimensão, destaca-se sem qualquer dúvida pelo tipicismo, na zona onde se encontra, no Bairro de Alfama.

segunda-feira, julho 03, 2017

Fare il portoghese

O que significa a expressão italiana Fare il portoghese?
Esta expressão é um daqueles exemplos que prova que um facto histórico pode dar origem a um mal entendido ou a um preconceito. Mas, afinal, o que significa fare il portoghese? Aqui vai a explicação.
Os italianos chamam portoghese às pessoas que entram em festas sem serem convidadas ou que entram em espectáculos sem pagar bilhete. A origem desta designação é engraçada. Começou há 496 anos e não é nada desprestigiante para os portugueses. Bem pelo contrário!
Por vezes, factos históricos dão origem a expressões que se tornam populares e se perpetuam no tempo. E muitas vezes, o uso dessas expressões não expressa a realidade dos factos ou induz a confusões sobre o carácter e a personalidade de um povo inteiro. É o caso da expressão italiana fare il portoghese.
Com os Descobrimentos, chegavam a Portugal especiarias, ouro, pérolas, madeiras e pedras preciosas vindos de África e do Oriente. Chegavam também animais exóticos nunca vistos na Europa.
Para homenagear e impressionar o recém-eleito Papa Leão X, D. Manuel I enviou uma embaixada a Roma com a oferta de jóias, macacos, papagaios, cavalos persas, uma pantera, leopardos, um rinoceronte (que morreu pelo caminho) e até um elefante coberto com um pano de veludo e com um cofre em cima do dorso.
No dia 12 de Março de 1514 chegava assim a Roma, esta fabulosa embaixada e, o Papa em sinal de reconhecimento, deu ordem para que os portugueses tivessem entrada livre em todas as festas que se realizassem.
A impressão com que se fica, entretanto, é que com o passar do tempo a história verdadeira foi-se perdendo e quando se usa a expressão parece que se está a denegrir os portugueses, como se eles fossem caloteiros ou de pouca confiança, mas é totalmente o oposto!
O que aconteceu, contudo, foi que os Romanos para poderem entrar sem pagar diziam "io sono portoghese" e é assim que ficámos nós até hoje, com esta fama…
Esta expressão, que embora não muito utilizada, é do conhecimento da maioria dos italianos, que provavelmente desconhecem a verdadeira razão da sua existência.

domingo, julho 02, 2017

O transmissor Wireless (sem fio)

Hedy Lamarr (1914 - 2000) foi uma atriz e inventora austríaca radicada nos Estados Unidos.
Hedy Lamarr, inventou um sistema de comunicações secretas (em conjunto com o compositor George Antheil), durante a Segunda Guerra Mundial, para torpedos controlados por rádio, empregando o "salto de frequência".
A tecnologia de Hedy Lamarr serviu de base a outras tecnologias, desde o Wi-Fi, à atual telefonia celular e ao GPS.

sábado, julho 01, 2017

Se às Vezes Digo que as Flores Sorriem

Se às vezes digo que as flores sorriem
E se eu disser que os rios cantam,
Não é porque eu julgue que há sorrisos nas flores
E cantos no correr dos rios...
É porque assim faço mais sentir aos homens falsos
A existência verdadeiramente real das flores e dos rios.
Porque escrevo para eles me lerem sacrifico-me às vezes
À sua estupidez de sentidos...
Não concordo comigo mas absolvo-me,
Porque só sou essa cousa séria, um intérprete da Natureza,
Porque há homens que não percebem a sua linguagem,
Por ela não ser linguagem nenhuma.
Alberto Caeiro (Heterónimo de Fernando Pessoa),  O Guardador de Rebanhos - Poema XXXI 

sexta-feira, junho 30, 2017

Nessun Dorma

Oiça a ária de Puccini, Nessun Dorma, da ópera Turandot, aqui interpretada pelo tenor lírico alemão, Jonas Kaufmann (1969).
Kaufmann, depois de estudar matemática, completou os seus estudos no conservatório da sua cidade natal em 1994.
Começou a sua carreira profissional no Staatstheater de Saarbrücken em 1994 e foi logo convidado a participar emespétaculos em importantes teatros, como a Ópera de Estugarda, a Ópera Estatal de Hamburgo, bem como na Ópera Lírica de Chicago, na Ópera Nacional de Paris, no Teatro alla Scala de Milão e na Bayerische Staatsoper de Munique.
Fez a sua estréia no Festival de Salzburgo em 1999, numa nova produção de Doktor Faust de Busoni e regressou em 2003 como Belmonte na ópera O Rapto do Serralho de Mozart, e ainda para o concerto da Nona Sinfonia de Beethoven com a Filarmónica de Berlim.
Atuou no Covent Garden, em 2006/2007, no papel de Don José da Carmen de Bizet, e também actuou como Alfredo na Traviata de Verdi no Metropolitan Opera, e no Covent Garden em 2008. Em maio de 2008, Kaufmann fez a sua estréia no papel de Mario Cavaradossi na Tosca de Puccini no Covent Garden, tendo sido novamente aclamamado pela crítica.
Em 2008/2009 atuou como Manon em Chicago contracenando com Natalie Dessay, no papel títular, e na nova produção da ópera Lohengrin, na Ópera do Estado Bávaro.
A sua gravação de estreia, Romantic Arias, foi lançado em 2008 e foi um dos mais bem-sucedidos CDs clássicos do ano. Em 2009 lançou seu segundo álbum Sehnsucht, com repertório em alemão.
Oiça-o, então, em Nessun Dorma.

quinta-feira, junho 29, 2017

Se São Pedro me ajudar

Se São Pedro me ajudar,
Solteirinha é que eu não fico!
Pois por certo hei de arranjar
Quem regue o meu manjerico!

Leva o arco e o balão
Salta depois a fogueira
Nos velhos tempos d'então
Era assim desta maneira.

Todos os Santos Populares
Fazem a nossa tradição
Festejamos com euforia
S. Pedro, Stº Antonio e S.João


O São João é do Porto
Santo António de Lisboa,
E São Pedro que é o último
Todo o mundo o apregoa.

Desde S. Pedro de Sintra
Até S. Pedro do Sul
Do Pico à Ribeira Grande
Acham S. Pedro cool.

No Bombarral, em Felgueiras,
No Seixal, em todo o lado,
Em Évora e Castro Verde
Hoje é dia de feriado.

Por isso rico S. Pedro,
Não te sintas inferior
Porque de entre todos os santos
Foste o escolhido do Senhor!


Alhos porros, martelinhos,
vai tudo pró bailarico...
vão passando os casalinhos,
ai que rico namorico!...

quarta-feira, junho 28, 2017

A Ilha do Pico: Património Mundial

Não deixe de conhecer uma das paisagens mais arrebatadoras do nosso país na Ilha do Pico.

A série documental Património Mundial reúne 14 filmes sobre edifícios e paisagens portugueses classificados pela UNESCO como Património Mundial da Humanidade.



Das vinhas da Ilha do Pico, nos Açores, ao Mosteiro da Batalha, passando, claro, pelos Jerónimos e pelo centro histórico de Guimarães, esta série cobre parte do que de melhor existe em Portugal em património histórico construído e em paisagem natural.


Ora veja!
Não perca esta oportunidade!




terça-feira, junho 27, 2017

Luta pela Vida

Observe, em baixo, o que é a luta pela vida no reino animal. Um vídeo sensacional que mostra como lutam uma águia e uma camurça.
Se pensa que a vida no campo é idílica, está muito enganado (a). Este vídeo mostra o ataque de uma águia a uma camurça.A montanha é testemunha de um duelo brutal em que a tenacidade e a força de uma grande rapace não é capaz de curvar o ímpeto e a vontade de viver do caprino.
Este vídeo é uma produção da Terra Mater Film Studios, que faz parte da película ‘Brothers of the wind’ (‘Wie Brüder im Wind’, que se estreou em janeiro de 2016).

domingo, junho 25, 2017

1- O Jogo do Monopólio

Este famoso jogo de tabuleiro que tem atravessado gerações foi inventado por Elizabeth Magie, em 1904, e batizado com o nome de O Jogo dos Proprietários.
O jogo de Magie foi uma crítica às injustiças do capitalismo sem controle.
De forma irónica, o seu jogo tornou-se um sucesso quando Charles Darrow lhe roubou a idéia e a vendeu á Parker Brothers, 30 anos depois. Depois de algum tempo a referida empresa localizou Magie e pagou-lhe US$ 500, pela injustiça cometida.

Coisas inventadas pelas mulheres

A partir de hoje vamos conhecer uma série de coisas que mudaram o mundo e que foram inventadas pelas mulheres.
Estamos acostumados a uma série de objetos e invenções que tornam o nosso quotidiano mais prático e simples. Mas,  já alguma vez pensou quem foi o responsável pela criação de todas elas?
Entre cientistas e inventores, as mulheres sempre tiveram o seu lugar na trajetória da humanidade, porém muitos não sabem que várias objetos e tecnologias surgiram graças à inteligência e ao engenho femininos.
Da cerveja ao Monopólio, elas fizeram história e mudaram o mundo!