terça-feira, dezembro 07, 2021

Hino Nacional de Portugal: Arrepiante!

Os japoneses são um povo que tem e assume por inteiro a sua História.

Não percam, no vídeo abaixo, a emoção de ouvir cantar o Hino Nacional de Portugal, por ocasião das comemorações dos 450 anos do porto do Nagasáqui que ocorreu a 20 de novembro. 

O grupo coral é japonês. É absolutamente arrepiante! 

Este vídeo revela a importância e a admiração que as autoridades japoneses atribuem à chegada dos portugueses ao Japão, uma vez que foi o povo português que abriu as portas de Nagasáqui ao mundo, em 1571.

É preciso não esquecer, contudo, que foi em 1543 que Fernão Mendes Pinto e Francisco Zeimoto chegaram à ilha japonesa de Tageshima e começou assim o relacionamento de Portugal com o Império do Sol Nascente – a que então chamávamos Cipango.

Este vídeo foi captado pela representante do Turismo de Portugal no Japão e na Coreia , Inês Queiroz.

segunda-feira, dezembro 06, 2021

Avé Maria

Assista  a uma interpretação fabulosa da "Ave Maria", com a orquestra de André Rieu, em África.

Ave Maria

Gratia plena

Maria, gratia plena

Maria, gratia plena

Ave, ave dominus

Dominus tecum

Bendicta tu in mulieribus

Et benedictus

Et benedictus fructus ventris

Ventris tui, Iesus

Ave Maria

Ave Maria

Maiden mild

I listen to a maidens prayer

For thou canst hear amid the wild

'Tis thou, 'tis thou canst save me amid despair

We slumber safely 'til the morrow

Though e'en by men outcast reviled

Oh, maiden

See a maiden sorrow

Oh, mother hear a suppliant child

Ave Maria

domingo, dezembro 05, 2021

Uma Experiência Fascinante



Assista ao vídeo abaixo e veja o que acontece quando se torce uma toalha molhada no Espaço. Esta é uma experiência fascinante!

Esta experiência foi realizada e mostrada ao mundo pelo astronauta Chris Hadfield.

Chris Hadfield (1959) é um ex-astronauta canadiano, o primeiro astronauta de seu país a fazer uma "caminhada espacial" e a comandar uma expedição na Estação Espacial Internacional.

sábado, dezembro 04, 2021

Histórias da História...Real...

Quando Sua Majestade Luís XIV adoeceu!! Muito interessante este facto histórico...

Luís XIV ao sentar-se no seu coche,  ter - se - á picado na ponta de uma pena da almofada do assento, a picada infetou e causou um pequeno abcesso no ânus que devia ter sido logo aberto e drenado.

Os médicos do rei, receosos de intervir nas bases da monarquia, optaram por um tratamento mais leve à base de unguentos.

Este tratamento não deu qualquer resultado e ao fim de quatro meses o rei continuava com o abcesso e com dores insuportáveis.

Em meados de maio os cirurgiões diagnosticaram uma fístula o que os deixou transtornadíssimos e finalmente o 1.º cirurgião, Félix de Tassy, decidiu-se por uma intervenção para abrir o abcesso. Para isso desenhou um instrumento especial, uma verdadeira peça de ourivesaria com lâmina de prata.

Mas foram precisos mais 5 meses para fabricar esse instrumento precioso. A operação só foi feita no dia 17 de novembro, sem anestesia, e foram necessárias mais duas intervenções porque foi muito difícil fechar a ferida para que pudesse cicatrizar.

Só no Natal de 1686 os cirurgiões declararam o rei como curado, o que pôs fim aos rumores que no estrangeiro já corriam de que Luis XIV agonizava.

Como ação de graças foram rezadas muitas missas em todo o reino e as Senhoras da Maison Royale de Saint-Louis, em Saint Cyr (colégio interno feminino criado por Mme de Maintenon) decidiram compor um cântico para celebrar a cura do rei.

A superiora, Mme de Brinon (sobrinha de Mme de Maintenon), escreveu os seguintes versos:

   Grand Dieu sauve le roi !
   Longs jours à notre roi !
   Vive le roi. A lui victoire,
   Bonheur et gloire !
   Qu'il ait un règne heureux
   Et l'appui des cieux !

Os versos foram entregues a Jean-Baptiste Lully para que este compusesse a música e as meninas de Saint Cyr passaram a cantar este pequeno cântico sempre que o rei vinha visitar o colégio.

Anos mais tarde, em 1714, o compositor Georg Friedrich Haendel, de passagem por Versalhes, ouviu este cântico e achou-o tão belo que tomou nota da letra e da música. Mais tarde, já em Londres, Haendel pediu a um clérigo chamado Carrey para lhe traduzir os versos de Mme de Brinon.

O padre traduziu-lhe de imediato a letra e escreveu estas palavras que iriam dar a volta ao Mundo:

   God save our gracious King,
    Long life our noble King,
    God save the King!
    Send him victorious
    Happy and glorious
    Long to reign over us,
    God save the King !

Haendel agradeceu-lhe e dirigiu-se de imediato à Corte onde ofereceu ao rei - como se fosse de sua autoria - o cântico das Meninas de Saint Cyr.

George I, encantado, felicitou o compositor e determinou que daí em diante o "God save the King" devia ser sempre executado nas cerimónias oficiais. E foi assim que este hino, que nos parece profundamente britânico, nasceu da colaboração:

- de uma francesa (Mme de Brinon),
- de um italiano naturalizado francês (Jean-Baptiste Lully - ou Lulli) ,
- de um inglês (Carrey),
- de um alemão naturalizado inglês (Georg Friedrich Händel - ou Haendel),
- do ânus de Sua Majestade Luis XIV.

De facto, um verdadeiro hino europeu!

Duas questões se colocam:
- Se Louis XIV por acaso não tivesse espetado uma pena no real traseiro, qual seria hoje o hino britânico?
- Acham possível que a partir de hoje possam ouvir o "God Save the Queen" sem pensar naquela pena?

sexta-feira, dezembro 03, 2021

Jeito Alegre de Chorar

Oiça o cantor angolano Paulo Flores no semba, Jeito Alegre de Chorar.

Paulo Flores (1972) é um dos cantores mais populares de Angola. Mudou-se para Lisboa durante a infância. Começou como cantor de kizomba, lançou o seu primeiro álbum em 1988. As suas canções tratam temas diversos como o governo, a vida quotidiana dos angolanos, a guerra civil e a corrupção.

O Semba é um género de música e de dança tradicional de Angola que se tornou muito popular nos anos 50. A palavra semba significa umbigada em kimbundo. Numa tradução livre, a palavra Semba representa "o corpo do homem que entra em contato com o corpo da mulher ao nível do barriga".

Eu queria ser um cantor

Queria ser o ator principal da minha vida

Eu queria saber o que é certo

Hoje que o fim está mais perto

Pra não chorar na partida


Eu queria entender o amor

Disfarçar a dor por trás do teu sorriso

Fazer o que for preciso

Para encontrar a saída


Eu sei, a vida é sofrida

A gente se aleija, mas que viva na peleja

Osami, nos proteja

Apesar da tristeza, eu só vivo a cantar


Ó, meu lugar (meu lugar)

A gente tem um jeito tão alegre de chorar

Até os endinheirados a título posto é invejoso

Têm inveja desse povo tão feliz no seu chorar


Ó, meu lugar (meu lugar)

A gente tem um jeito tão alegre de chorar

Que até os endinheirados a título posto é invejoso

Têm inveja desse povo tão feliz no seu chorar


Tão feliz no seu chorar

Tão feliz no seu chorar


Mas é feliz no seu chorar o meu povo

(Tão feliz no seu chorar)

Mas é feliz no seu chorar o meu povo

(Tão feliz no seu chorar)

Eu queria ser um cantor

Queria ser o ator principal da minha vida

Eu queria saber o que é certo

Hoje que o fim está mais perto

Pra não chorar na partida


Eu queria entender o amor

Disfarçar a dor por trás do teu sorriso

Fazer o que for preciso

Para encontrar a saída


Eu sei, a vida é sofrida

A gente se aleija mas que viva na peleja

Osami, nos proteja

Apesar da tristeza, eu só vivo a cantar


Ó, meu lugar (meu lugar)

A gente tem um jeito tão alegre de chorar

Até os endinheirados a título posto é invejoso

Têm inveja desse povo tão feliz no seu chorar


Ó, meu lugar (meu lugar)

A gente tem um jeito tão alegre de chorar

Até os endinheirados a título posto é invejoso

Têm inveja desse povo tão feliz no seu chorar (uh, uh)

Tão feliz no seu chorar (uh, uh)


Feliz no seu chorar

É tão feliz no seu chorar o meu povo (tão feliz)

É tão feliz no seu chorar o meu povo (feliz no seu chorar)

É tão feliz no seu chorar, ô, mamã (tão feliz)

Mas é feliz no seu chorar, ô, mamã (feliz no seu chorar)

(Tão feliz, feliz no seu chorar)

Tão feliz no seu chorar, ô, mamã (tão feliz)

(Feliz no seu chorar, tão feliz)

Compositor: Paulo Flores

quinta-feira, dezembro 02, 2021

O Farol das Orcas

Cena do filme

O Farol das Orcas (2015) é um filme realizado por Gerardo Olivares que conta no elenco com Maribel Verdú, Joaquín Furriel, Ana Celentano. É um filme baseado em factos reais que narra de forma fantástica o problema do autismo e suas consequências.

"O Farol das Orcas" é muito mais do que simplesmente a história de uma mãe que leva o filho autista até um biólogo marinho para interagir com orcas. 


Beto e Tristán (verdadeiros)
Sinopse:

Beto (Joaquín Furriel) mora na Argentina e é um homem solitário que trabalha como guarda florestal num Parque Nacional. Lola (Maribel Verdú) é espanhola e é mãe de Tristán (Joaquín Rapalini), um menino de onze anos, autista. Depois de ver Beto num documentário, desesperada, Lola vai com o filho para Argentina em busca de ajuda. Um pouco relutante no início, Beto concorda em ajudar Tristán.

quarta-feira, dezembro 01, 2021

Salvador Dalí: Autorretrato

Salvador Dalí (1904 – 1989) foi um importante pintor espanhol, conhecido pelo seu trabalho surrealista. O trabalho de Dalí chama a atenção pela incrível combinação de imagens bizarras, oníricas, com excelente qualidade plástica. Dalí foi influenciado pelos mestres do classicismo. A sua obra mais conhecida, A Persistência da Memória, foi concluído em 1931. Salvador Dalí teve também trabalhos artísticos no cinema, escultura e fotografia. Colaborou com a Walt Disney na curta metragem de animação Destino e, com Alfred Hitchcock, no filme Spellbound. Também foi autor de poemas dentro da mesma linha surrealista.

Em cima pode apreciar o seu autorretrato.