domingo, maio 27, 2018

Por teu livre pensamento

Foram-te longe encerrar
Tão longe que o meu lamento
Não te consegue alcançar
E apenas ouves o vento
E apenas ouves o mar

Levaram-te a meio da noite
A treva tudo cobria
Foi de noite numa noite
De todas a mais sombria
Foi de noite, foi de noite
E nunca mais se fez dia.

Ai! Dessa noite o veneno
Persiste em me envenenar
Oiço apenas o silêncio
Que ficou em teu lugar
E ao menos ouves o vento
E ao menos ouves o mar.
David Mourão-Ferreira
Em seguida ouça Amália Rodrigues no fado Abandono escrito para ela por David Mourão-Ferreira (e que ficou conhecido como Fado Peniche) e conta com música deAlain Oulman eAQUI.

sábado, maio 26, 2018

Vladimir Herzog

Vladimir Herzog, ou Vlado Herzog (1937 — São Paulo, 25 de outubro de 1975), foi um jornalista, professor e dramaturgo brasileiro.
Herzog nasceu na cidade de Osijek, na então Jugoslávia, em 1937, filho de um casal de origem judaica. Durante a Segunda Guerra Mundial, para escapar ao antissemitismo praticado pelo estado da Croácia, então controlado pela Alemanha Nazi, a família fugiu para a Itália, onde viveu clandestinamente até imigrar para o Brasil.
Naturalizado brasileiro, Vladimir tinha uma enorme paixão pela fotografia, atividade que exercia em virtude dos seus projetos cinematográficos.
Na década de 1970, assumiu a direção do departamento de telejornalismo da TV Cultura e também foi professor de jornalismo na Escola de Comunicações e Artes (ECA) da Universidade de São Paulo (USP).
O nome de Vladimir tornou-se central no movimento pela restauração da democracia no país após 1964. Militante do Partido Comunista Brasileiro, foi torturado e assassinado pelo regime militar brasileiro nas instalações do DOI-CODI, no quartel-general do II Exército, no município de São Paulo, após se ter apresentado voluntariamente ao órgão para "prestar esclarecimentos" sobre as suas "ligações e atividades criminosas".
O jornalista foi procurado na noite anterior no seu local de trabalho por dois agentes que pretendiam levá-lo para "prestar depoimento" sobre as suas supostas ligações com o Partido Comunista Brasileiro, agremiação que funcionava na clandestinidade desde o golpe militar de 1964. Após uma tensa negociação,Vlado comprometeu-se a apresentar-ser espontaneamente na manhã seguinte.
"Chegou à sede DOI-CODI, às 8 horas, levado pelo jornalista Paulo Nunes, que cobria a área militar na redação da Cultura e dormira na casa do diretor da TV naquela noite para assegurar que ele se apresentaria na instalação militar logo cedo. Nunes foi dispensado na recepção e Vlado encaminhado para interrogatório. Foi então encapuzado, amarrado a uma cadeira, sufocado com amoníaco, submetido a espancamento e choques elétricos, conforme o manual ali praticado e seguindo a rotina a que foram submetidos centenas de outros presos políticos nos centros de tortura criados pela ditadura e financiados em boa parte por empresários que patrocinavam ações repressivas e de violação dos Direitos Humanos, como a Operação Bandeirante.
Naquela cela solitária, com o ouvido na janelinha, eu podia ouvir os gritos: ‘Quem são os jornalistas? Quem são os jornalistas?’ Pelo tipo de grito, pelo tipo de porrada, sabia que estava sendo feito com alguém exatamente aquilo pelo que eu tinha passado “, recordou, em 1992, em depoimento ao jornal Unidade, do sindicato da categoria, o jornalista Sérgio Gomes, que estava preso no mesmo DOI-CODI em que Vlado se encontrava naquele dia. “Lá pela hora do almoço há uma azáfama, uma correria. Ele foi torturado durante toda a manhã e se dá o tal silêncio. A pessoa para de ser torturada e em seguida há uma azáfama, uma correria… A gente percebe que tem alguma coisa estranha acontecendo. Tinham acabado de matar o Vlado.

sexta-feira, maio 25, 2018

"Angola, O 27 de Maio. A história por contar"

 Amanhã, dia 26 de maio, vai ser lançado o segundo livro de José Reis, "Angola, O 27 de Maio. A história por contar", da editora Nova Vega.
41 anos depois destes nefastos acontecimentos, aqui fica mais um testemunho, para que não se branqueie a história e para que não caiam no esquecimento todos aqueles que pereceram ou foram vítimas destes factos.
Este evento terá lugar na Casa de Goa, na Calçada do Livramento, em Lisboa, pelas 16:30 h.

Sinopse:
Neste livro são narradas muitas histórias por contar que nos ajudam a conhecer melhor o que foi o 27 de de maio de 1977, bem como o sectarismo de que estão eivadas as suas versões oficiais.

quinta-feira, maio 24, 2018

Aeroporto Internacional de Shenzhen-Bao’an

O Aeroporto Internacional de Shenzhen Bao'an (ou Aeroporto Internacional Bao'an) é um aeroporto localizado na cidade de Shenzhen, a segunda maior cidade de Guangdong. Está localizado na planície costeira da margem leste do Delta do Rio das Pérolas e é o único aeroporto internacional da China que se liga aos portos marítimos quer de passageiros quer de tráfego de mercadorias.
É o sexto aeroporto mais movimentado da China contando com o aeroporto de Hong Kong. Em 2008 recebeu 21,4 milhões de passageiros, e esperava-se para o ano de 2012 com a construção de um novo terminal um total de 33 milhões de passageiros.
Este Aeroporto Internacional foi construído para apor o aeroporto de Hong Kong no tráfego internacional de passageiros. O Aeroporto Internacional de Shenzhen Bao'an acabou por ajudar também o aeroporto de Guangzhou, outro "Hub" da aviação Chinesa.

quarta-feira, maio 23, 2018

Lembrança

Fui Essa que nas ruas esmolou
E fui a que habitou Paços Reais;
No mármore de curvas ogivais
Fui Essa que as mãos pálidas poisou...

Tanto poeta em versos me cantou!
Fiei o linho à porta dos casais...
Fui descobrir a Índia e nunca mais
Voltei! Fui essa nau que não voltou...

Tenho o perfil moreno, lusitano,
E os olhos verdes, cor do verde Oceano,
Sereia que nasceu de navegantes...

Tudo em cinzentas brumas se dilui...
Ah, quem me dera ser Essas que eu fui,
As que me lembro de ter sido... dantes!...
Florbela Espanca - Charneca em Flor 

segunda-feira, maio 21, 2018

Concerto Brasil



Aprecie o jovem tenor brasileiro Jean Willian, no Concerto Brasil.
Cantor lírico de origens humildes, foi criado pelos avós, tendo conseguido superar as dificuldades e estudar na USP, além de falar quatro idiomas.
E agora assista-o noutro vídeo.