domingo, fevereiro 26, 2017

O Voo da Águia

No segundo domingo das festividades do Carnaval de Veneza, um outro voo, também realizado por volta do meio-dia, marca estes festejos: Il Volo dell’Aquila, ou seja, O Voo da águia.
Este voo, que também sai do campanário de São Marcos termina no centro da Praça de São Marcos, parece que é um evento relativamente recente.
Em 2012, o voo foi feito por Fabrizia d’Ottavio, medalha de prata nas Olimpíadas de Atenas, em ginástica ritmica.
Em 2013, a escolhida foi a jogadora de vólei Francesca Piccinini, como pode conferir no vídeo em baixo.

sábado, fevereiro 25, 2017

O Voo do Anjo

O Voo do Anjo marca tradicionalmente o início oficial das festividades de Carnaval na cidade italiana de Veneza.

Milhares de pessoas, a maioria fantasiada ou mascarada, assistem a este tradicional espectáculo do Carnaval de Veneza, que é considerado o mais belo Carnaval do mundo.
Durante os festejos de Carnaval são realizadas grandes apresentações na Piazza San Marco (Praça de São Marcos), principal local e símbolo de Veneza onde está localizada a Basílica de San Marcos, o Campanário da Basílica e o Palazzo Ducal de Veneza.
É nesta Praça que acontecem os tradicionais Voo do Anjo e Voo da Águia, realizados por duas jovens que são escolhidas para representar estes papéis, e que vestidas a caráter descem do Campanário da Basílica até à Praça. Para a descida do Anjo do próximo ano é feita uma seleção, este ano, entre as raparigas venezianas para ver quem será o Anjo de 2018.
E agora veja o Voo do Anjo realizado este ano em Veneza a 19 de fevereiro.

sexta-feira, fevereiro 24, 2017

O Que Faz Falta

Oiça uma grande música de um grande cantor e poeta: Zeca Afonso! Aqui fica a homenagem, passados que são trinta anos da sua morte.
Quando a corja topa da janela
O que faz falta
Quando o pão que comes sabe a merda
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
Quando nunca a noite foi dormida
O que faz falta
Quando a raiva nunca foi vencida
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é acordar a malta
O que faz falta

Quando nunca a infância teve infância
O que faz falta
Quando sabes que vai haver dança
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta
Quando um cão te morde uma canela
O que faz falta
Quando a esquina há sempre uma cabeça
O que faz falta
O que faz falta é animar a malta
O que faz falta
O que faz falta é empurrar a malta
O que faz falta
Quando um homem dorme na valeta
O que faz falta
Quando dizem que isto é tudo treta
O que faz falta
O que faz falta é agitar a malta
O que faz falta
O que faz falta é libertar a malta
O que faz falta

Se o patrão não vai com duas loas
O que faz falta
Se o fascista conspira na sombra
O que faz falta
O que faz falta é avisar a malta
O que faz falta
O que faz falta dar poder à malta
O que faz falta


quarta-feira, fevereiro 22, 2017

O Paço da Ribeira e a Ribeira das Naus

Há 486 anos, a  26 de Janeiro de 1531, um sismo destruiu parte da cidade de Lisboa, em particular a colina de Santa Catarina.
O terramoto e o posterior tsunami resultaram em aproximadamente 30,000 mortes. Os danos causados, especialmente na parte baixa foram severos, aproximadamente um terço das edificações da cidade foram destruídas e mil vidas perderam-se no choque inicial.
O Paço da Ribeira e a Igreja de São João foram ambos completamente destruídos.
Pode ver a como era Lisboa nesta época, através da vista, proporcionada pela imagem ao lado, a partir do Tejo, do Palácio da Ribeira (a Ribeira das Naus está esquerda do Paço da Ribeira) em Lisboa (1598) - Georg Braun and Franz Hogenberg. Civitates Orbes Terrarum (a 1ª edição latina é de 1572).

segunda-feira, fevereiro 20, 2017

Minha grande ternura

Minha grande ternura
Pelos passarinhos mortos;
Pelas pequeninas aranhas.

Minha grande ternura
Pelas mulheres que foram meninas bonitas
E ficaram mulheres feias;
Pelas mulheres que foram desejáveis
E deixaram de o ser.
Pelas mulheres que me amaram
E que eu não pude amar.

Minha grande ternura
Pelos poemas que
Não consegui realizar.

Minha grande ternura
Pelas amadas que
Envelheceram sem maldade.

Minha grande ternura
Pelas gotas de orvalho que
São o único enfeite de um túmulo.
Manuel Bandeira

domingo, fevereiro 19, 2017

Noviy Svet, Crimeia

1 - Novy Svet, Crimeia
Noviy Svet, significa literalmente: "Novo Mundo". Esta localidade, com cerca de 1248 habitantes (censo de 2014) é um resort, um tipo de centro urbano que se situa em Sudak na Crimeia.
É um território reconhecido pela maioria dos países como parte da Ucrânia e que foi incorporado pela Rússia como a República da Crimea .
Novy Svet é conhecida pelo seu vinho espumante.
A cidade está situada numa área muito cénica, como pode ver na imagem ao lado, pelo que numerosos filmes soviéticos foram aí realizados. Possui algumas das melhores praias da região, e um bom um par de hotéis (um dos quais era suposto ser utilizado pelas cosmonautas soviéticas).