sábado, novembro 14, 2015

O maravilhoso Café Pushkin

Esta é uma daquelas histórias que daria um bom romance ou um excelente filme.
Há mais de 50 anos, o lendário cantor francês Gilbert Bécaud visitou  Moscovo.


Quando voltou a Paris, escreveu a canção " Natalie " e dedicou-a à sua guia russa. A canção diz qualquer coisa como:
"Caminhávamos à volta de Moscovo, visitando a Praça Vermelha e tu dizias-me que aprendeste coisas sobre Lenine e a Revolução, mas eu só desejava que estivéssemos no Café Pushkin, a olhar a neve lá fora, a beber chocolate quente e a falar sobre algo completamente diferente ... "
A canção tornou-se  incrivelmente popular em  França e, obviamente, todos os turistas franceses que iam a Moscovo tentavam encontrar o " Café Pushkin. "
Mas tal não era possível, uma vez que ele existia apenas como uma fantasia poética, na canção de Bécaud.
Mas em 1999 esta fantasia poética tornou-se realidade, quando um artista franco- russo, Andrei Dellos, juntamente com Andrei Mákhov, abriu o Café Pushkin numa mansão barroca histórica, na Rua Tverskoy em Moscovo.
E sabe qual é o facto mais fantástico desta história? É que Gilbert Bécaud, o cantor francês que inspirou tudo isto, cantou " Natalie " na inauguração do restaurante.
Se quiser maravilhe-se, agora, com o interior e todos os pormenores deste café-restaurante absolutamente fantástico. Veja as fotografias que escolhi e todos os detalhes no site que lhe disponibilizo, bastando para isso clicar aqui.
Aprecie também, em baixo, a imagem e a voz de Gilbert Bécaud interpretando Natalie. Aqui fica, assim, a homenagem a este poeta cantor!

sexta-feira, novembro 13, 2015

O Milagre dos 7 Minutos

Veja o que é a eficiência e a produtividade japonesas, através do vídeo "O Milagre dos 7 Minutos". Este vídeo foi realizado para um trabalho do jornalista japonês, Charli James, intitulado "O Milagre dos 7 Minutos". Este pequeno filme mostra cenas do trabalho diário da equipa de limpeza do combóio Shinkansen.
Imagine o sincronismo que tem de existir, para que 400 mil passageiros possam circular por dia nestes comboios de Tóquio. Mas quanto tempo é que a equipa de limpeza tem para limpar cada comboio? São 7 minutos de puro método e rigor!  É extraordinário o que os trabalhadores ferroviários japoneses conseguem fazer em tão pouco tempo.
O Shinkansen é o combóio de alta velocidade da rede ferroviária do Japão, operada pela companhia privada (Japan Railways Group) conhecida como JR.
Desde que a linha inicial Tōkaidō Shinkansen abriu em 1964, a rede expandiu-se para ligar a maior parte das cidades das ilhas de Honshu e Kyushu, atingindo velocidades até 300 km/h, num território habitualmente fustigado por terramotos e tufões.
As velocidades máximas atingidas em viagens experimentais foram de 443 km/h em carris convencionais e de até 580 km/h em linhas maglev.
A palavra Shinkansen significa literalmente "Nova Linha Troncal" e por isso refere-se estritamente aos carris, enquanto que os comboios propriamente ditos são referidos oficialmente como "Super Expressos", no entanto, esta distinção é muito raramente feita, mesmo no próprio Japão.
Ao contrário de linhas mais antigas, o Shinkansen utiliza a bitola padrão, e usa túneis e viadutos para atravessar obstáculos em vez de os contornar.

quinta-feira, novembro 12, 2015

Mais três fenómenos raros...

1. Arco- Íris de fogo
O Arco-Íris de Fogo não é um arco-íris de verdade, mas, um fenómeno que tem um efeito semelhante. Chama-se "Arco circum-horizontal" e é causado pela refração dos raios de sol em cristais de gelo. O fenómeno ocorre quando o sol está no alto do céu (acima de 58º sobre o horizonte), e a luz passa através de uma nuvem diáfana do tipo cirros (a grande altitude) constituída por cristais de gelo hexagonais. A luz entra pela face vertical e é refratada, como num prisma, e separada no conjunto das cores visíveis. Quando a face dos cristais está perfeitamente alinhada com o solo o resultado é um espectro brilhante de cores que se parecem com um arco-íris Os halos são tão grandes que, muitas vezes, aparecem paralelamente ao horizonte.


2- Parélio
É um fenómeno atmosférico que se dá, porque os cristais de gelo brilham quando o Sol está num ângulo determinado. É, portanto, um fenómeno óptico associado principalmente à reflexão e refração da luz solar, por pequenos cristais de gelo provenientes de nuvens do tipo cirros ou cirro -estratos. Um parélio é uma mancha brilhante comum, formando como um halo solar. Frequentemente, podem ser observados dois parélios simultaneamente (um de cada lado do sol).

3- Redemoinhos de fogo
Os redemoinhos de fogo são turbilhões de fogo. Formam-se quando se associam condições intensas de calor e vento turbulento.
Um redemoinho de fogo, também chamado de tornado de fogo, é um raro fenómeno onde o fogo, sob certas condições (dependendo da temperatura do ar e das correntes) adquire uma vorticidade vertical e forma um redemoinho ou uma coluna de ar de orientação vertical similar a um tornado.
A maioria dos grandes tornados de fogo surgem a partir de incêndios florestais nos quais estão presentes correntes de ar quente ascendentes e convergentes. Usualmente eles têm de 10 a 50 metros de altura, poucos metros de largura e duram somente alguns segundos. Alguns podem ter mais de um quilómetro de altura, dar origem a ventos com intensidades superiores a 160 km/h e durar mais de 20 minutos. Os redemoinhos de fogo podem destruir árvores de 15 metros de altura. Pode observar este fenómeno, que ocorreu no Brasil, no vídeo abaixo. Ora veja.

quarta-feira, novembro 11, 2015

Água-Pé & Jeropiga

Hoje é Dia de São Martinho. Tradicionalmente, no nosso país, o dia é marcado pelas celebrações desta efeméride e do outono, com a realização de magustos regados a Água-Pé e Jeropiga.

A água - pé, a par da jeropiga, são geralmente confeccionadas como bebidas que acompanham os magustos  (festejos de boas-vindas às castanhas) e outras festividades tradicionais do período de Outono e Inverno, com maior uso nas regiões do Minho, Trás-os-Montes, Beira Interior e Ribatejo

A água-pé é um bebida alcoólica tradicional de Portugal. Tem baixo teor de álcool e resulta da adição de  aguardente e de água ao bagaço (pé ou engaço) de uva.

A jeropiga é, também, uma bebida alcoólica tradicional de Portugal. É preparada adicionando aguardente ao mosto de uva para parar a fermentação, ficando uma bebida mais alcoólica que o vinho.

Segundo o dicionário Houaiss, o vocábulo Jeropiga pode ser uma corruptela de "xaropiga", inventada a partir de xarope, por ser uma bebida doce.  Mas há outras explicações. Assim, para alguns pode significar qualquer bebida de má qualidade, o que também é mencionado num escrito de Camilo Castelo Branco.

No Brasil, a jeropiga é atualmente fabricada artesanalmente na cidade de Rio Grande (Rio Grande do Sul). A sua confecção é atribuída à presença portuguesa na região, sendo muito afamada a que é produzida tradicionalmente na Ilha dos Marinheiros.

De qualquer modo, não se esqueça que em Portugal, no dia de S. Martinho, com duas castanhas se faz um magustinho. Ah! E já agora acompanhado com boa água - pé e boa jeropiga.

terça-feira, novembro 10, 2015

Angola: 40 anos de independência

A República Popular de Angola comemora amanhã os 40 anos da sua independência.
Angola, é um país da costa ocidental da África, cujo território principal é limitado a norte e a nordeste pela República Democrática do Congo, a leste pela Zâmbia, a sul pela Namíbia e a oeste pelo Oceano Atlântico. Inclui também o exclave de Cabinda, através do qual faz fronteira com a República do Congo, a norte. A capital é a bela cidade de S. Paulo de Assunção de Luanda.
Os portugueses estiveram presentes em alguns pontos do que é hoje o território de Angola desde o século XV, interagindo de diversas maneiras com os povos nativos, principalmente com aqueles que moravam no litoral.
A presença portuguesa na região iniciou-se no século XV, mas a delimitação do território apenas aconteceu no início do século XX. O primeiro europeu a chegar a Angola foi o explorador português Diogo Cão. Angola foi uma colónia portuguesa que apenas abrangeu o actual território do país no século XIX e a "ocupação efectiva", como determinado pela Conferência de Berlim em 1884, aconteceu apenas na década de 1920, após a resistência dos povos bundas e o sequestro de seu chefe, Mwene Mbandu Kapova.
 A independência do domínio português foi alcançada em 1975, depois de uma longa guerra de libertação. Após a independência, Angola foi palco de uma intensa guerra civil de 197
5 a 2002,
Para assinalar, aqui os 40 anos de independência de Angola, sugiro-lhe que veja as apresentações que se seguem. E agora uma apresentação sobre a bela cidade de São Filipe de Benguela. 
Benguela é uma cidade e município, capital da província de Benguela, situada no oeste de Angola.
Tem 2.100 km² e cerca de 513 441 habitantes segundo o censo de 2014. Limita a norte com o município do Lobito, a leste com os municípios do Bocoio e Caimbambo, a sul com o município da Baía Farta e a oeste com o Oceano Atlântico. E, fique a conhecer também as Dunas e a Foz do Cunene.
O Cunene é um rio de Angola que traça parte da fronteira com a Namíbia.
O rio Cunene nasce nas Boas Águas, Huambo, no Planalto Central de Angola, correndo para Sul até atingir as quedas do Ruacaná, a partir de onde inflecte para Oeste até à sua foz no Oceano Atlântico.
O curso do Cunene é de cerca de 1.200 km, dos quais 960 km exclusivamente em Angola. A bacia hidrográfica do rio Cunene é de 272.000 km², dos quais 150.800 km² em território angolano.
O Cunene é um dos poucos rios permanentes nesta região árida. O seu caudal anual médio é de 174 m³/s na foz. As Quedas do Monte Negro (Epupa) situam-se neste rio.
O rio Cunene é partilhado pelos povos Nhaneca-Humbe e Hereros.

segunda-feira, novembro 09, 2015

O Azerbaijão e os Jogos


O Azerbaijão, oficialmente República do Azerbaijão, é um país localizado no Cáucaso, situando-se na fronteira entre a Europa e a Ásia.
O território principal limita a norte com a Geórgia e a Rússia, a leste com o mar Cáspio, do outro lado do qual se encontram as costas do Turquemenistão, a sul com o Irão e a oeste com a Arménia e o enclave de Nakichevan da Turquia. Assim, este país inclui uma área principal, junto ao mar Cáspio, e o enclave de Nakichevan, a sudoeste. A sua capital é Baku.
Considerada uma nação transcontinental, é membro do Conselho da Europa desde 2001.
Assista agora a um espetáculo fabuloso que ocorreu no Azerbaijão! Trata-se da Cerimónia de Abertura dos Jogos Europeus, que ocorreu este ano, em Baku.
Se não assistiu ainda a esta cerimónia, não perca esta oportunidade.Vale mesmo a pena. Ora veja!

domingo, novembro 08, 2015

A Rocha dos Bordões

A Rocha dos Bordões é uma formação geológica, caracterizada por enormes colunas de basalto, que faz parte dos Geossítios do Geoparque dos Açores.

Esta formação localiza-se no sítio denominado por Cabo Baixo das Casas, na freguesia do Mosteiro, concelho das Lajes das Flores. Trata-se de um imponente acidente geológico único do seu género nos Açores, que se caracteriza pela solidificação rápida da rocha basáltica em altas colunas prismáticas verticais, com forma alongada.

Este acidente formou-se dentro de um cone vulcânico, que ao longo de milhares de anos foi sendo sujeito a um processo erosivo pelos elementos atmosféricos, expondo o seu interior e ficando assim, com o aspecto de um enorme conjunto de bordões feitos de pedra.

A Rocha dos Bordões é maior que a famosa Calçada dos Gigantes (Giant's Causeway) de Antrim, na Irlanda do Norte, hoje classificada como

Património da Humanidade pela UNESCO.

Por estas colunas basálticas descem vários cursos de água que se juntam formando uma queda de água. Junto ao sopé desta formação existe outra singularidade geológica, a que foi dado simplesmente o nome de Águas Quentes, que são na sua essência caldeiras ferventes de água sulfurosa de pequena dimensão.

Veja agora o vídeo abaixo, que mostra a travessia da parte sul da Ilha das Flores e vai até à Rocha dos Bordões.

Não perca esta oportunidade e viaje até lá, nem que seja virtualmente.



Em 2004, o Governo Regional dos Açores deu início ao processo de classificação da Rocha dos Bordões como monumento natural regional.