sábado, novembro 07, 2015

Açores: Magnífico


O vídeo que hoje trazemos mostra uma perspectiva pouco habitual das bonitas ilhas do nosso arquipélago dos Açores.
É um belo trabalho com a assinatura da National Geographic.

A fotografia deste "timelapse" é da responsabilidade de Ian Swarbrick.
O Arquipélago dos Açores é constituído por nove ilhas, todas diferentes, agrupadas em 3 grupos  (o Central, o Ocidental e o Oriental).

A Oriente, a ilha de Santa Maria, com as suas praias quentes e de areia clara e a de São Miguel (a maior ilha), com as suas Lagoas: a das Sete Cidades e a do Fogo.

No Grupo Central, as Ilhas Terceira, São Jorge, Pico, Faial e Graciosa dispõem-se harmoniosamente no mar azul por onde baleias e golfinhos espreitam fazendo as delícias dos visitantes.

Na Terceira destaca-se  Angra do Heroísmo, classificada Património Mundial. No Faial o destaque vai para as hortênsias, a marina colorida pelas pinturas dos iatistas vindos de todo o mundo e para o vulcão dos Capelinhos. No Pico, o que chama a atenção é a montanha do Pico (ponto mais alto de Portugal) e  os seus vinhedos plantados em negros campos de lava. Em São Jorge, o destaque vai para as Fajãs e para o seu queijo, especialidade única e de sabor inconfundível.

A Graciosa salienta-se pela beleza e pelo verde dos campos cobertos de vinhas que contrastam com os seus peculiares moinhos de vento.

Já no grupo Ocidental, a Ilha das Flores deslumbra-nos pela beleza das cascatas naturais e de lagoas escavadas por vulcões. O Corvo, a ilha miniatura, tem no seu centro uma ampla e bela caldeira e atrai várias espécies de aves vindas não só do continente europeu mas também do americano.

Estes são os Açores, aqui retratados pela National Geographic. Nove ilhas de beleza e encanto. Não deve perder a oportunidade  de ver este vídeo. Vale bem a pena.


sexta-feira, novembro 06, 2015

Sonho Meu

Maria Bethânia comemora este ano os seus 50 anos de carreiraMaria Bethânia (1946), é uma cantora e compositora brasileira, nascida em Santo Amaro, Bahia, e é hoje considerada uma das maiores cantoras do século XX, no seu país.
Participou, na juventude, em peças teatrais ao lado do irmão, o também cantor e compositor Caetano Veloso e de outros cantores proeminentes da época. Em 1965, mudou-se para o Rio de Janeiro onde começou a sua carreira musical substituindo a cantora Nara Leão no espetáculo Opinião. No mesmo ano, assinou contrato com a RCA e lançou o seu álbum de estreia.
Para assinalar esta efeméride, veja-a aqui com vários artistas, interpretando a belíssima canção "Sonho Meu" (Music video by Various Artists performing Sonho Meu. (C) 2015 Musickeria).

Sonho meu, sonho meu
Vai buscar quem mora longe
Sonho meu

Vai mostrar esta saudade
Sonho meu
Com a sua liberdade
Sonho meu

No meu céu a estrela guia se perdeu
A madrugada fria só me traz melancolia
Sonho meu

Sinto o canto da noite
Na boca do vento
Fazer a dança das flores
No meu pensamento

Traz a pureza de um samba
Sentido, marcado de mágoas de amor
Um samba que mexe o corpo da gente
E o vento vadio embalando a flor

quinta-feira, novembro 05, 2015

Fenómenos Raros

1. As Nuvens Lenticulares
Nuvens Lenticulares são formações estacionárias de nuvens, com formato análogo a lentes. Formam-se em altitude e normalmente estão alinhadas com a perpendicular da direção do vento.
As nuvens formam-se quando o ar húmido flui sobre uma montanha e se sobrepõe em grandes camadas de nuvens.

2. As Nuvens Asperatus
As nuvens asperatus só foram classificadas recentemente,  no ano de 2009.
Estranhas e mesmo assustadoras, podem ser de uma espécie completamente nova. É o que defende a "Cloud Appreciation Society" (Sociedade de Apreciação de Nuvens), depois de compilar inúmeros exemplos deste inusitado fenómeno, recebidos de todos os cantos do mundo.

3.As Supercélulas

As supercélulas são o tipo de tempestade mais raro e perigoso.
Uma supercélula é um tipo de tempestade caracterizada pela presença de uma corrente de ar ascendente girando no interior da nuvem.Por esta razão, estas tempestades às vezes são chamadas de tempestades giratórias. Das quatro classificações de tempestade (Supercélula, multicélula, unicélula e linha de instabilidade), as supercélulas são geralmente as menos comuns, entretanto são também as mais severas.
Causam chuvas muito volumosas, produzem muitas faíscas e ventos fortes.
As supercélulas têm geralmente três classificações: clássica, baixa precipitação e alta precipitação. Supercélulas de baixa precipitação são encontradas em climas mais secos e áridos, enquanto que as supercélulas de alta precipitação podem surgir em qualquer lugar do mundo, mas são vistas principalmente nas Grandes Planícies dos Estados Unidos.

quarta-feira, novembro 04, 2015

A Sopa Dourada do Convento de Santa Clara

Vila do Conde é uma cidade sobejamente conhecida pela sua ligação à construção naval em madeira e à produção das seculares rendas de bilros. Mas falar de Vila do Conde é também sinónimo de doçaria conventual.
Os doces conventuais são uma tradição secular em Portugal e em Vila do Conde. Os Conventos e Mosteiros foram, desde cedo, os grandes impulsionadores destas tradições. O Convento de Santa Clara, onde a arte de doçaria atingiu o maior esmero e perfeição, foi uma verdadeira escola. Entre as suas diversas especialidades, destacam-se os doces de ovos.
Os doces de Vila do Conde são, por isso, ainda hoje, imensos e variados. Desde as Súplicas, o Pão Doce, os Melindres de Vila do Conde, os Biscoitos de Manteiga, o Pão de Espécie, o Pão de Ló, os Beijos de Freira, as Rosquinhas, os Sonhos, a Sopa Dourada das Freiras de Santa Clara, os Rebuçados de Ovos, os Tolos, os Pastéis de Santa Clara, as Empadas, as Sapatetas e as Cavacas. Os beijos-de-freira tiveram origem no Convento de Santa Clara, que até hoje domina a paisagem da cidade de Vila do Conde, em Portugal. Este doce era feito pelas freiras que lhe davam o forma de lábios, daí o nome beijo-de-freira. Algumas modificações lhe foram feitas ao longo do tempo, como por exemplo, a substituição de alguns ingredientes e o seu formato.
No entanto, uma das receitas mais célebres do Convento de Santa Clara (e de Portugal) é a da "Sopa Dourada".  Dos seus ingredientes fazem parte, entre outros: o pão de ló, a canela, as amêndoas, as gemas, o doce de chila, o cidrão e a água de flores de larangeira.
Se quiser realizar esta deliciosa Sopa Dourada, para a quadra natalícia que se avizinha a passos largos, aqui vai a receita.
Ingredientes:
1 colher de chá de canela
12 gemas
125 gr de amêndoas (peladas e raladas)
150 gr de Pão de Ló (cortado em fatias finas)
2,5 dl de água
2 colheres de sopa de água de flores de larangeira
250 gr de doce de chila
40gr de cidarão picadinho
750 gr de açúcar
Preparação:
Leve um tacho ao lume com a água e o açúcar até fazer ponto de pérola. Retire depois a calda do lume e, junte-lhe a água de flores de larangeira.
Passe as fatias de pão de ló por esta calda e ponha-as a escorrer numa grelha de cozinha.
Leve a restante calda ao lume até ferver e atingir ponto de estrada. Junte depois o cidrão e o doce de chila e deixe ferver um pouco. Em seguida adicione a amêndoa ralada e deixe ferver um pouco mais. Retire o tacho do lume e deixe amornar.
Bata as gemas ligeiramente e junte-lhes um pouco do preparado anterior. Bata novamente. Depois adicione-lhes o preparado restante do açúcar com o cidrâo e amêndoa. Leve ao lume, mexendo sem parar e não deixando agarrar no fundo do tacho.
Entretanto, coloque o Pão de Ló  (que esteve a escorrer) numa travessa. Cubra-o com o doce de ovos que esteve a preparar. Polvilhe com a canela.
Espero que goste desta excelente receita da cozinha tradicional de Portugal.

terça-feira, novembro 03, 2015

O Convento ou Mosteiro de Santa Clara

O Convento ou Mosteiro de Santa Clara foi fundado por iniciativa de D. Afonso Sanches, filho bastardo de Dinis I de Portugal, e de sua esposa, D. Teresa Martins.

Este mosteiro está localizado no centro da cidade de Vila do Conde (distrito do Porto), sem uso e ao abandono. Já esteve para ser pousada, atualmente aguarda luz verde para projeto camarário de recuperação do edifício.

Foi um convento feminino instituído em 1318 e extinto no século XIX. Do antigo conjunto, resta a magnífica igreja em estilo gótico e parte do edifício conventual (a área residencial,outrora designada como os "dormitórios novos"), reedificada parcialmente no século XVIII, e ainda os arcos do antigo claustro com o seu chafariz e o extenso aqueduto - o aqueduto de Santa Clara, em parte destruído.

Na igreja encontram-se alguns importantes túmulos: o de Beatriz de Portugal, filha do beato Nuno Álvares Pereira, o dos Condes de Cantanhede e os dos fundadores.

Um dos momentos mais notáveis da história do convento ocorreu sob a abadessa D. Isabel de Castro (1518-1543). A reedificação de 1777 em gosto neopalladino é do mestre pedreiro Henrique Ventura Lobo, que trabalhou na Cadeia do Tribunal da Relação do Porto.

Associadas a este convento estão as lendas da Abadessa Berengária e a da Menina do Merendeiro - originárias do convento - que testemunham, da parte das monjas da casa, anseios duma vivência cristã muito depurada.

Após o decreto de extinção das ordens religiosas (1834), a vida no convento foi-se apagando lentamente, até chegar ao seu termo em 1892, com a morte da última freira.
Em 1902 as dependências do antigo convento receberam a Casa de Detenção e Correcção do Porto, depois Reformatório de Vila do Conde e Escola Profissional de Santa Clara, sendo hoje conhecido como Centro Educativo de Santa Clara, estabelecimento de tutela de menores que funcionou até 2007.

Atualmente o Convento encontra-se abandonado.
Em setembro de 2008 foi assinado um contrato entre o Turismo de Portugal e o Grupo Pestana com vista à sua transformação em Pousada de Portugal, projecto que não foi concretizado.

Em 2013, os vilacondenses criaram um "abraço" de cinco minutos ao mosteiro para protestar contra a degradação do edificio e exigir uma intervenção urgente: O Mosteiro de Santa Clara permanecia devoluto.


Em 2015, após acordo com a câmara de Vila do Conde, o Mosteiro de Santa Clara vai sofrer obras de de reabilitação com o objectivo de albergar os serviços municipalizados de Vila do Conde.

segunda-feira, novembro 02, 2015

Escorpião

Mulher de Escorpião
Comigo não!
É a Abelha Mestra
É a Viúva Negra
Só vai de vedete
Nunca de extra.
Cria o chamado conflito
de personalidades.
É mãe tirana
Mulher tirana
Irmã tirana
Filha tirana
Neta tirana.
tirana tirana.
Agora, de cama diz -
que é boa paca.
Vinícius de Moraes

domingo, novembro 01, 2015

Dia de todos os santos

Para celebrar o Dia de Todos os Santos, aqui lhe deixo dois poemas, de poetas brasileiros, alusivos a esta data.

Santo Antonio, o casamenteiro,
São Jorge, pião, é santo guerreiro,
Santa Edwiges, mãe dos endividados,
São Sebastião, senhor dos esfomeados.

O Brasil tem, no Sul, o Frei Galvão,
Em Pernambuco, o Frei Damião,
E na Bahia, a irmã Dulce, a altiva,
Três canonizações em perspectiva.

Há santos para todos os devotos,
Pedidos e promessas, crença e votos,
Formam o mais complexo rol da fé.

São os santos e a fé que mantêm de pé
Gente doente, com fome e nua,
Que sem lar perambula pela rua!
PFA

Pronto!
Pelo amor, deixei-me enfeitiçar
primeiro de novembro, chegou,
dia de todos os Santos
bruxa? agora nem mais sou...

Tirei as danadas das rugas
o meu nariz reformei
deixei meu rosto bonito
feliz, como idealizei

Joguei fora os meus pertences
capa preta, patuás e caldeirão
enterrei os meus pózinhos
joguei poções ao chão,

E neste dia que chega
aos santos todos lembrados
oremos por todo planeta
para que seja reparado,

Próximo ano eu volto
assim como bruxinha,
feitiços e travessuras
e também mais receitinhas...
(Livinha, 01/Novembro/2008)