sábado, outubro 31, 2015

As Feiras e as Broas dos Santos e o Pão Por Deus.

Nesta altura do ano, em Portugal, é tradição realizarem-se as Feiras dos Santos (por exemplo em Chaves, Cartaxo, Mangualde, Vila Pouca de Aguiar ou Alcains, entre outras) ou as Feiras dos Frutos Secos.
Os frutos secos (castanhas, nozes e passas de figo), os produtos da época, as broas, o artesanato, a água-pé, os vinhos, a gastronomia e a animação atraem todos os anos milhares de visitantes a estes locais. Mais do que a oportunidade de aquisição destes produtos, estas feiras são a afirmação de tradições que têm fortes raízes populares.
É também tradição, por esta altura, pedir o "Pão Por Deus" e confeccionar as Broas de Todos os Santos.
A palavra "broa" parece ter origem germânica, mais especificamente sueva. Estes povos originários das zonas ribeirinhas do Báltico e da Península da Jutlândia, actual Dinamarca, estabeleceram-se na Península Ibérica e deram origem a Portugal e à Galiza espanhola.
Broa ou boroa é uma palavra que se utiliza, com frequência, no Norte e Centro de Portugal , designando uma forma de pão.
O que lhe proponho hoje é mais uma receita de Broas dos Santos (broas doces), simples e rápida de confeccionar.
Ingredientes:
125ml de azeite
175ml de água
2 colheres de sopa de mel
150 g de açúcar
1 colher de sopa de canela
1 colher de sopa de erva doce
1 colher de chá de bicarbonato de sódio
25 g de nozes picadas
350 g de farinha para bolos já com fermento
90 g de farinha de milho fina
óleo q.b.
1 ovo batido
Nozes q. b. (para enfeitar)
Preparação:
Coloque todos os ingredientes líquidos num alguidar. Junte o açúcar, o mel, a canela, a erva doce, o bicarbonato e as nozes. Mexa este preparado. Em seguida junte as farinhas e bata durante uns minutos.
De seguida, faça as broínhas com as mãos, com o típico formato alongado, e coloque num tabuleiro untado com óleo e enfarinhado.
Coloque em cada broa, um bocado de noz, e pincele as broas com ovo batido.
Leve a forno pré-aquecido a 180ºC durante 15m.
E estão prontinhas a comer e a celebrar esta época do ano.

sexta-feira, outubro 30, 2015

Garganta

Mais uma vez lhe propnho que oiça a cantora brasileira, Ana Carolina, em "Garganta" (Vídeo Oficial).
"Garganta" é uma faixa extraída do DVD de Ana Carolina,  "Estampado - Um Instante que Não Pára".
"Estampado - Um Instante Que não Para" é o segundo DVD da cantora Ana Carolina.
Trata-se do registo de um show realizado em agosto de 2004, no Claro Hall no Rio de Janeiro, para um público de nove mil pessoas.

quinta-feira, outubro 29, 2015

Apocalypse Now

Apocalypse Now (1979) é um filme de guerra norte-americano, realizado por Francis Ford Coppola e escrito por John Milius e considerado um dos 10 melhores filmes de sempre.
Este filme contou com as excelentes interpretações de Marlon Brando, Robert Duvall e Martin Sheen.
A crítica tem discutindo se o filme é pró ou anti-guerra e tem evidenciado as suas imagens de destruição da natureza, além da brutalidade sem propósito, da supremacia norte-americana e dos efeitos que a guerra é capaz de causar na mente humana.
O filme Apocalypse Now ganhou ampla aclamação da crítica e hoje é considerado como um dos melhores filmes de todos os tempos. Foi honrado com a Palma de Ouro no Festival de Cannes e nomeado para o Oscar de Melhor Filme.  Também foi considerado "cultural, histórica e esteticamente significante" e, por isso, foi selecionado para preservação, pelo National Film Registry, em 2000.
Em 2002, um grupo de críticos de cinema e escritores britânicos do British Film Institute elegeram-no o melhor filme dos últimos 25 anos. Além disso, aparece na lista dos melhores filmes, segundo o American Film Institute, em 2007.
Sinopse:
O enredo é sobre a guerra do Vietname e conta a história do Capitão Willard (Martin Sheen) do Comando de Assistência Militar, e oficial das Operações Especiais do Exército dos Estados Unidos, que recebe a missão de encontrar e matar o comandante das Forças Especiais, Coronel Kurtz (Marlon Brando), que aparentemente enlouqueceu e se refugiou nas selvas do Camboja, onde comanda um exército de fanáticos. Kurtz, no passado um soldado brilhante, aparentemente enlouqueceu e comanda o seu próprio exército como um semideus.

quarta-feira, outubro 28, 2015

O Amolador

O amolador de facas, tesouras e guarda-chuvas é uma profissão ou ofício em vias de extinção, no nosso país.
O amolador é um comerciante ambulante, que se desloca, pelas ruas das cidades ou povoados, numa bicicleta ou numa motocicleta para oferecer os seus serviços de amolar facas, tesouras e outros instrumentos de corte.
Além de afiarem as lâminas de tesouras ou facas, soldam os fundos dos tachos e panelas e, consertam guarda chuvas. Consigo, trazem mesmo alguns guarda chuva velhos, de onde retiram as varetas metálicas de que necessitam para substituir as estragadas, por estarem partidas ou amolgadas.
O amolador, para anunciar a sua proximidade, usa uma flauta de pã, de cana ou de plástico, como apito (chamada em espanhol de chiflo), que sopra, fazendo soar uma melodia com duas tonalidades consecutivas, uma mais grave e outra mais aguda e viceversa.
A bicicleta tem-se modificado, ao longo do tempo, de forma a transportar o esmeril mecânico com uma pedra de amolar, que serve para amolar os objetos cortantes.
A profissão de amolador ou de amola tesouras é actualmente algo puramente residual e constitui uma forma de sobrevivência de algumas pessoas que recorrem a estes ofícios, para aumentar os seus parcos rendimentos. Praticamente está em vias de extinção.

Até quando
o amolador de tesouras,
amolará as tesouras

e os nossos ouvidos,
com sua gaita?

Tesouras de aço
vararam o espaço,
cortando tecidos,
podando unhas, tosando cabelos,
desmazelos, censuras...
Fizeram tantas loucuras,
que acabaram cegando...

Oftalmologistas!
Deem um jeito nas tesouras,
para que elas não ceguem mais!
- Ora, vá amolar o satanás!

A.J. Cardiais


Não perca este vídeo:

terça-feira, outubro 27, 2015

Saudade da prosa

Poesia, saudade da prosa;
escrevia «tu», escrevia «rosa»;
mas nada me pertencia,
nem o mundo lá fora
nem a memória,
o que ignorava ou o que sabia.

E se regressava
pelo mesmo caminho
não encontrava

senão palavras
e lugares vazios:
símbolos, metáforas,

o rio não era o rio
nem corria e a própria morte
era um problema de estilo.

Onde é que eu já lera
o que sentia, até a
minha alheia melancolia?
Manuel António Pina

segunda-feira, outubro 26, 2015

Fenómenos Extremos

1. Os Relâmpagos do Catatumbo
Na foz do rio Catatumbo, na Venezuela, forma-se uma massa singular de nuvens de tempestade, que criam um espectáculo raro, conhecido como Relâmpagos do Catatumbo.
A tormenta dá-se até 160 noites por ano, 10 horas por dia e 280 vezes em cada hora.

2 - Os Relâmpagos Vulcânicos
As cinzas vulcânicas produzem quantidades imensas de carga elétrica e estática. Em casos raros, tal pode desencadear uma tempestade violenta.
Uma hipótese explicativa é que as bolhas de magma ou as cinzas do vulcão possuem cargas elétricas e, com o movimento, conseguem criar áreas separadas de cargas elétricas opostas – a condição para a criação dos arcos voltáicos.

domingo, outubro 25, 2015

Dia D

Oiça o grupo de música portuguesa HMB em "Dia D" (Videoclip Oficial).
Os HMB são um dos novos valores da soul e do R&B cantados em português.
Dos HMB fazem parte Héber Marques na voz, Joel Silva na bateria, Daniel Lima nos teclados, Fred Martinho na guitarra e Joel Xavier no baixo.
O projeto deste grupo começou em 2007 e em 2012 os HMB  editaram o disco de estreia inspirado em nomes incontornáveis da música norte-americana e portuguesa.
«A Erykah Badu, o D'Angelo, o pessoal do hip hop como o Common ou os The Roots, são bandas que nos influenciaram e continuam a influenciar". Ainda de acordo com um dos componentes do grupo «A Sara Tavares, numa vertente um bocadinho mais afro, é uma pessoa que também nos marcou bastante».
Em Portugal, o estilo de música dos HMB tem tido recentemente uma enorme visibilidade. Se não os conhece vale bem a pena assistir a este vídeoclipe oficial. Ora veja!